Torres Vedras

40 anos da elevação de Torres Vedras a cidade

01.04.2019

Fotografia da Avenida 5 de Outubro repleta de bandeiras que assinalam os 40 anos da elevação de Torres Vedras a cidade.

No dia 11 de janeiro de 1979, após discussão na Comissão de Administração Interna e Poder Local, a proposta de elevação de Torres Vedras à categoria de cidade foi aprovada pela Assembleia da República. A elevação assumiu-se como reconhecimento do empenho da população em torno do desenvolvimento deste território, sendo Torres Vedras a primeira vila elevada a cidade após o 25 de abril de 1974.

Sérgio Simões, torriense e deputado do PS, foi o relator do projeto de Lei que viria a ser discutido em plenário. Depois de passar em revista as características do território, o deputado terminou de forma perentória: “Torres Vedras não deve nada a ninguém, senão aos seus próprios habitantes, que, ano após ano, dia após dia, no passado e no presente, construíram uma grande vila que saberão transformar numa grande cidade.”

À ovação no plenário da Assembleia da República seguiu-se a discussão entre os deputados das várias bancadas parlamentares. “[…] Feita de heroísmo e criatividade, feita de trabalho, da festa, do sofrimento e da fraternidade de sucessivas gerações, uma cidade é uma longa gesta coletiva, um percurso, uma caminhada, uma invenção” afirmou o também torriense Afonso Moura Guedes, do PSD.

Mas nem só de torrienses se fez a discussão, com a decisão da elevação da vila a cidade a ganhar consenso. Carvalho Cardoso, do CDS, sustentou o voto favorável daquele partido através da “consciência de só assim cumprir um dever de justiça para com uma população que tanto apreciamos nas suas virtualidades e cujo dinamismo é necessário apoiar e estimular […]”

As características do Concelho e das suas gentes assumiam-se como denominador comum de um consenso que ganhava força em todas as alas políticas. “O PCP tem constantemente lutado pelo progresso das aldeias, vilas e cidades deste país” diria Alda Nogueira, do PCP. “Neste sentido, estamos nas melhores condições para apoiar a proposta de passagem da vila de Torres Vedras a cidade” viria a concluir.

Com o diploma aprovado na generalidade e na especialidade, a elevação da vila de Torres Vedras a cidade foi consagrada na Lei publicada a 3 de fevereiro. “As pessoas estão bastante interessadas e contentes” afirmou Alberto Avelino, então presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, em entrevista à RTP.

Era, assim, cumprido um desejo amplamente partilhado pela população torriense, que nos 40 anos que nos distanciam destes acontecimentos fez cumprir os objetivos inerentes a este ato. A Biografia de Torres Vedras: 1976-2016 destaca que se começou por fazer cumprir as conquistas alcançadas com o 25 de abril. No Concelho, era premente a necessidade de uma política de desenvolvimento urbanístico e de solo, rodoviário e industrial.

As duas primeiras décadas da Cidade ficaram marcadas pela resposta a necessidades básicas como a eletrificação, a distribuição de água canalizada ou a abertura de caminhos e estradas em aldeias e aglomerados. Os anseios em torno de uma melhor qualidade de vida seriam, pois, o motor do desenvolvimento deste território, que se viria a tornar numa referência para a região e o país. Estavam reunidas as condições para um ritmo cada vez maior de desenvolvimento e de afirmação do concelho de Torres Vedras.

Como reflexo do trabalho desenvolvido ao longo destas quatro décadas, o Município de Torres Vedras afirmou-se como polo de atração enquanto mercado de consumo e centro empregador. 40 anos de Cidade significam, pois, 40 anos de desenvolvimento de um território que cada vez vai mais além das suas fronteiras físicas.


Rita Santos

voltar ao topo ↑