Torres Vedras

Estátua a Antero de Quental

01.07.2012

Estátua a antero de Quental

Esta estátua alusiva a Antero de Quental é uma forma de recordar e perpetuar a sua passagem por Santa Cruz.

A ligação deste grande poeta, escritor, filósofo e político açoriano a Santa Cruz remonta a 1870, quando passou os meses de Agosto e Setembro nessa povoação então composta por um pequeno número de casas espalhadas sobre as arribas. O convite para esta estadia foi feito pelo seu amigo, escritor e diplomata Jaime Batalha Reis que tinha forte ligação a Torres Vedras.

Foi em Santa Cruz que Antero de Quental encontrou inspiração para escrever alguns dos seus sonetos filosóficos

Foi em Santa Cruz que Antero de Quental encontrou inspiração para escrever alguns dos seus sonetos filosóficos, como é o caso de Justitia Mater, cujo excerto se encontra inscrito na base daquela estátua.

Nesta escultura, Antero de Quental encontra-se sentado a contemplar o mar.

 

Justitia Mater

"No espaço constelado passa o vulto
Do inominado Alguém, que os sóis aviva:
No mar ouve-se a voz grave e aflitiva
D´um deus que luta, poderoso e inculto"

Estátua a antero de Quental

Estátua a Antero de Quental 

  • Localização: Esplanada Antero de Quental | Santa Cruz
  • Data de inauguração: 29 agosto 2009
  • Autoria: Rodrigo Baeta

Rodrigo Baeta

Escultor, licenciado em Artes Plásticas – Escultura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.

O seu trabalho, demonstrado em diversas exposições coletivas e individuais, já foi premiado por três instituições diferentes. Está representado em diversas coleções públicas e privadas.

Rodrigo Baeta não procura o efémero. Procura, antes, incrementar formas eternas, estáveis e universais. Nas suas obras valoriza a relação entre os objetos e o observador, tentando criar um relacionamento saudável entre ambos.

voltar ao topo ↑