Torres Vedras

Margarida Rodrigues, Rainha das Vindimas 2016

29.08.2017

Todos os anos o Festival das Vindimas percorre o concelho com eliminatórias a decorrerem em todas as freguesias. Nestas eliminatórias elegem-se as 13 candidatas que disputam nas Festas da Cidade o título de Rainha das Vindimas, representando assim o concelho de Torres Vedras a nível nacional. 

Com as eliminatórias do Festival das Vindimas quase a começar, fomos conhecer Margarida Rodrigues, Rainha das Vindimas em 2016. 

Margarida, qual a tua idade, signo, defeito e virtude e que freguesia que representas? 

Tenho 17 anos, sou do signo gémeos, defino-me como impaciente e realista, no ano de 2016 no Festival das Vindimas representei a freguesia da Silveira. 

O que é especial na tua freguesia e quais os pontos de interesse turísticos que nos gostarias de revelar? 

O 'ex-libris' da minha freguesia é sem dúvida as belas praias que atraem imensos turistas mas também realço a azenha de Santa Cruz, os moinhos, a tranquilidade da natureza nomeadamente nos pinhais que são ótimos para um piquenique em família ou ainda os mercados que vendem produtos produzidos na nossa região. 

Torres Vedras, cidade e município: o que representa para ti? 

Para mim, Torres Vedras representa o município onde nasci e cresci e principalmente um lugar que adoro residir, sendo que é uma honra representar a minha cidade e eleva-la ainda mais. 

O que te incentivou a participar no Festival das Vindimas? 

Foi principalmente pelo apoio da família, porque este evento passou de geração em geração e estava no meu ano de participar e sem dúvida que tive todo o apoio de amigos e família. 

Fala-nos da tua experiência na eliminatória da tua freguesia. 

A minha experiência na eliminatória da Silveira é bastante caricata, porque na primeira data de eleição eu era a única a concorrer. Depois tive de esperar mais umas semanas até se encontrar mais candidatas a participar e finalmente a 21 de outubro é que se fez a eliminatória, mas tirando esta parte foi bastante importante, porque foi o meu primeiro desfile. Não sabia bem o que fazer; se estava a desfilar bem ou não; se a minha roupa era a adequada; tudo o que o nervosismo trás consigo. Mas quando disseram que tinha ganho nem queria acreditar, porque não estava nada à espera, até porque como era o primeiro concurso que participava. Não esperava em passar à final. 

quando disseram que tinha ganho nem queria acreditar, porque não estava nada à espera, até porque como era o primeiro concurso que participava 

Fim-de-semana Social, como foi? Fizeram-se novas amizades e houve a partilha de experiências. O que foi mais marcante? 

O Fim-de-semana Social foi dos melhores momentos que tive nesta experiência, repetia sem dúvida alguma. No Festival das Vindimas de 2016 nós as 13 eramos quase todas da mesma idade, o que ajuda imenso na nossa interação. No sábado, quando chegamos, pouco falávamos umas com as outras, mas quando chegamos ao ginásio já eramos todas amigas e a amizade começou assim. Criamos todas uma grade ligação e nem nos lembrávamos que estávamos a competir umas contra as outras, é sem duvida algo extraordinário e que nunca vou conseguir esquecer.

Final do Festival das Vindimas, 12 de Novembro 2016, no Pavilhão Multiusos da Expotorres: o que recordas com mais carinho? 

É algo difícil de responder, mas eu tenho participado em vários concursos de beleza e o Festival das Vindimas em Torres Vedras foi o único onde eu senti que ninguém se sentiu injustiçado ou revoltado com a coroação, porque quando revelaram quem tinha ganho houve uma onda de afetos e carinho inexplicável. 

Melhor momento desta experiência? 

Houve tantos momentos importantes que é complicado de escolher um em concreto, no entanto para mim ter ganho tantas amizades supera o mero acaso de ter ganho o Festival. 

para mim ter ganho tantas amizades supera o mero acaso de ter ganho o Festival

Quais foram os prémios que ganhaste sendo Rainha das Vindimas de Torres Vedras? 

Recebi vários prémios que já usufrui na sua maioria. Por exemplo os prémios para as 13 finalistas foram um workshop de automaquilhagem com a Eliane Guerra, que é fundamental para as raparigas fazerem uma maquilhagem bonita; desconto na loja First; o livro de Luís Filipe Rodrigues “ Vila Vedra” que é super interessante e o típico pastel de feijão. Como fui Rainha das Vindimas recebi uma viagem ao Porto; um agenciamento gratuito na Promodel e um book na mesma agência e um portátil. São prémios bastante apelativos. 

Esta experiência abriu-te portas e fortaleceu o gosto que tens pela moda e concursos de beleza? 

Não me abriu portas, porque infelizmente depois da eleição da Rainha das Vindimas da cidade não há mais nenhum interesse por parte da Câmara /Instituições de aproveitar o facto de haver uma representante do festival que já faz parte da tradição e é bastante valorizado pela população, enquanto que podia haver uma maior interação com a Rainha. Porém, o meu ânimo por concursos de beleza aumentou imenso, tanto que este ano já participei em vários. 

Participarias novamente no Festival das Vindimas? 

Participaria sem hesitações. 

Deixa uma mensagem a todas as jovens do Concelho de Torres Vedras. 

Se gostas de moda e beleza participa ou então mesmo que não te interesse muito participa na mesma neste grande Festival das Vindimas que te fornece novos conhecimentos, imensa diversão e ainda grandes amizades que levas para depois do concurso. Não hesites em participar porque não é só a beleza que importa, mas também a tua pessoa e caso não corra bem desta vez, não desistas. Luta pelos teus objetivos!

  • Entrevista: Joana Carapeta
  • Fotos: Susana Batista
  • Onde? Adega Mãe
  • Quando? 23 de agosto de 2017