Torres Vedras

Porto Novo

12.07.2017

Imersos na frescura das águas!

O início do verão é assinalado pelo calor abrasador que incentiva à [re] descoberta de elementos da natureza que refrescam os dias de férias de quem visita Torres Vedras.
Depois da praia, rumamos a norte, em direção a Porto Novo, em busca de um lugar especial que nos permita caminhar em tranquilidade e estreito contacto com a natureza.
Percorremos a ciclovia de olhos postos na magnitude das encostas e das dunas que avistamos à nossa direita. No topo, bem por cima das ruínas do Convento de Nªa Sra. da Graça, uma Cruz indica que vamos no caminho certo.
Chegados a Porto Novo, atravessamos a ponte, onde paramos e apreciamos a paisagem. De um lado, a Foz do rio Alcabrichel que desagua na praia, correndo em direção ao Atlântico. Do outro, observamos as tranquilas águas que rompem a vegetação. É por ali que vamos…

Uma antiga placa rodoviária, indicando a direção de Lisboa, faz-nos sorrir e imaginar como seria longo o caminho até ao destino…hoje, tão perto!
Alguns passos, e encontramos um pescador com quem trocamos escassas palavras. De olhar atento no rio, diz-nos que a pesca é, apenas, um pretexto para uma tarde de sossego. Seguimos pelo caminho e somos engolidos pelas escarpas calcárias da Maceira, numa simbiose de cores entre o cinzento do rochedo e o verde da vegetação. Enquanto caminhamos, avistamos, ao longe, um parapente a planar a costa, no mesmo momento em que uma avioneta sobrevoa com o característico sonido. No rio, em silêncio, navegam as coloridas gaivotas a pedais, irresistíveis a miúdos e graúdos. Cruzamos com ciclistas, que pedalam ao ritmo da corrente, famílias que conversam e turistas que nos cumprimentam.

Envolvida por denso arvoredo, mais uma ponte e uma cancela indicando a meta do nosso destino - as Termas do Vimeiro. A funcionar todos os anos, entre junho e setembro, entramos no edifício e somos acolhidos por um simpático sorriso. Oferecem-nos um copo de água da Fonte dos Frades que saboreamos junto à Buvete, protegida por arcadas e coloridas flores. Enquanto descansamos, trocamos meia-dúzia de palavras com um antigo funcionário das termas que nos fala das indicações terapêuticas destas santas águas.

De regresso a Porto Novo, optamos pela margem esquerda do rio, num trilho de aromas intensos que nos acompanham até ao final do passeio. Pelo meio, ficou o desejo de regressar para uma aventura no trilho que se eleva pela escarpa...

 

Notas:

Existem duas grutas pré-históricas, junto a Maceira, uma delas, vulgarmente conhecida por Gruta do Cabeço da Rainha ou Lapa da Rainha.

Antigo porto piscatório, Porto Novo é também conhecido por ter sido o local de desembarque das tropas britânicas que viriam a combater na Batalha do Vimeiro durante a primeira invasão francesa em 1807.