Torres Vedras

Presidente

Carlos Manuel Antunes Bernardes

Tem 52 anos, reside no Turcifal, concelho de Torres Vedras, e gosta de viajar.

É presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras desde 1 de dezembro de 2015.

É também Embaixador Quality Coast e membro do Comité Consultivo Político da CIVITAS Initiative.

Em setembro de 2016 foi nomeado Embaixador Green Destination para a Europa.

Ao longo do seu percurso, participou, em Portugal e no estrangeiro, em várias conferências, seminários, workshops e cursos relacionados com turismo, ambiente, sustentabilidade e mobilidade, entre outras áreas.

Formação Académica:

  • Doutorado em Turismo, no IGOT/ESHTE, Universidade de Lisboa, em 21 de dezembro de 2015;
  • Pós Graduado em Turismo (CFA), pelo IGOT, Universidade de Lisboa, no ano letivo 2011/2012;
  • Licenciado em Gestão de Empresas Turísticas e Hoteleiras, no Instituto Superior Politécnico do Oeste, em 2011.

Experiência Profissional:

  • Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, desde 1 de dezembro de 2015;
  • Presidente do Conselho de Administração dos SMAS de Torres Vedras desde 1 de dezembro de  2015;
  • Vice-Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, de 2005 a 2015;
  • Vereador da Câmara Municipal de Torres Vedras dos Pelouros de Ambiente e Serviços Urbanos, de 2003 a 2005;
  • Vereador do Pelouro do Turismo da Câmara Municipal de Sobral de Monte Agraço, de 1997 a 2001;
  • Adjunto e Secretário do Gabinete de Apoio Pessoal ao Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, de 1994 a 1997;
  • Secretário da Junta de Freguesia do Turcifal, de 1989 a 1997;
  • Funcionário Público, desde 1988;
  • Guia Transferista na Empresa Intercentro, Grupo Eurolines, responsável pela linha de Málaga, de 1986 a 1993.

Um novo regresso às aulas

01.10.2020

Apesar da situação atípica que vivemos, foi com entusiasmo que as nossas crianças e jovens voltaram à escola. Depois de um longo período marcado pela interrupção das aulas presenciais e pelo isolamento, era essencial voltar às salas de aula. Os agrupamentos escolares, em conjunto com a comunidade educativa como um todo e a Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia, trabalharam arduamente para garantir que o novo ano letivo começasse em segurança.

Só assim foi possível adotar medidas necessárias, como o reforço do número de assistentes operacionais. Substituímos a natação (uma atividade de enriquecimento curricular impossibilitada devido às atuais circunstâncias) por uma hora de atividade física na escola. Uma escola que está de portas abertas para receber atividades dos serviços educativos do Município, evitando deslocações que poderiam significar mais riscos para a saúde de todos nós.

Temos sido capazes de demonstrar a capacidade de resiliência da nossa gente e do nosso território. Mas compreendemos que existam receios ao enfrentar uma realidade desconhecida. É por isso que estamos a trabalhar no esclarecimento da comunidade educativa, dos assistentes operacionais aos encarregados de educação, para que o ano letivo decorra com a tranquilidade que os mais novos precisam e merecem.

À semelhança do que já fizemos no último ano letivo, vamos garantir que nenhum aluno fica para trás caso seja necessário recorrer ao ensino à distância, garantindo a quem necessita o acesso a equipamentos informáticos e à internet.

Com vista a termos um regresso às aulas seguro percorremos as escolas básicas e secundárias do Concelho para sensibilizar os alunos, explicando as medidas que devem adotar na escola, mas também o comportamento a adotar em casa e nas viagens que fazem todos os dias.

Não temos dúvidas de que aquilo que se espera dos jovens é exatamente o mesmo que se espera de toda a população: um acentuado sentido de responsabilidade, especialmente numa fase marcada pela chegada do outono, que traz preocupações em torno da pandemia mas também da saúde não-COVID.

Mais do que nunca, temos de redobrar as medidas de higiene e etiqueta respiratória, cumprir a distância física e evitar situações em que sabemos que o risco de contágio é elevado. Sabemos que o coronavírus não tem fronteiras. Resta-nos continuar a demonstrar o sentido de responsabilidade dos torrienses no combate à pandemia, para que, mais cedo do que tarde, possamos ultrapassar este momento difícil da história do nosso planeta.

voltar ao topo ↑