Torres Vedras

Carnaval de Torres Vedras 2018 ao ritmo do “Samba da Matrafona”

05.01.2018

O “Samba da Matrafona”, música que celebra o Carnaval de Torres Vedras, foi ontem apresentado no Teatro-Cine de Torres Vedras na presença de centenas de foliões que não quiseram perder a oportunidade de começar a entrar no espírito do Carnaval mais português de Portugal. Susana Félix, cantora e compositora torriense e amante da festa da sua terra, lançou o desafio à Organização do Carnaval e a dois reconhecidos músicos brasileiros e o resultado foi este samba que homenageia os torrienses, o Carnaval de Torres e a matrafona*.

O presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, falou da importância que a criação desta música tem na promoção do Carnaval torriense. À semelhança do que aconteceu, o ano passado, com a apresentação do filme de Edgar Pêra “Delírio em Las Vedras”, esta música “permite dar a conhecer o que são os elementos distintivos do nosso Carnaval, explicar a nossa matriz, a nossa identidade”. Já Susana Félix manifestou-se muito entusiasmada no momento de apresentação do seu trabalho ao público, um público exigente, da sua terra, que sente o Carnaval intensamente e cujas expetativas tinham de ser correspondidas.

Susana Félix, que vive muito intensamente o Carnaval, confessou que a ideia desta criação a assaltou e ganhou força numa conversa de café. Assim, propôs a criação de uma música que permitisse completar este grande evento com um dos elementos indissociáveis do Carnaval: a música. Foi desta forma que nasceu o “Samba da Matrafona”, que alia o estilo de música predominante no Carnaval, o samba, à história do Carnaval mais português de Portugal.
Além da letra e da música, Susana Félix dá voz à música que assume caráter de homenagem a um dos símbolos maiores do Carnaval de Torres Vedras, a matrafona, mas convidou os brasileiros Zeca Pagodinho, grande cantor de samba, e Emicida, reconhecido rapper, para darem o seu contributo na criação do “Samba da Matrafona”.
As músicas brasileiras, em particular o samba, fazem parte da tradição dos festejos do Carnaval e, para não fugir a essa tradição, Susana Félix criou um samba, mas que contém referências sonoras dos bombos dos “Zés Pereira”, uma letra que fala e caracteriza a matrafona torriense e que se baseia nas marchas do Carnaval do início do século XX. Desta forma singular, a cantora alarga a originalidade de alguns elementos do Carnaval de Portugal também à música.

A apresentação da música e exibição do videoclip criaram um clima de euforia no Teatro-Cine de Torres Vedras, com todos os foliões, ainda guiados pela letra, a cantar e a dançar o “Samba da Matrafona” que reconheceram imediatamente como sendo a sua música.

Mais um dia para recordar na já longa e rica história do Carnaval mais português de Portugal.

O “Samba da Matrafona” estará disponível numa edição limitada em vinil, a lançar ainda antes dos festejos do Carnaval de Torres 2018, mas está já disponível em diversas plataformas digitais.

Que todos os foliões o cantem de braços abertos no Carnaval de Torres Vedras que decorrerá de 9 a 14 de fevereiro.

Música: Susana Félix/ João Cabrita
Letra: Susana Félix/ Emicida
Voz: Susana Félix/ Zeca Pagodinho e Emicida
Edição: Promotorres, E.M

Samba da Matrafona

Ela tem hora de partida na Caravela
Só o final do Túnel a fará voltar
É matrafona
Que não há noutro lugar
Matrafona tem mulher na casa dela
Nem esse sapato a fará parar
É matrafona
Ninguém se vai enganar

E quem se rir só por te ver
Cumpre bem certo o teu querer
É matrafona, que o samba é de cá…
O sol na praça vai nascer
E a matrafona só quer viver
Esperou o ano inteiro
É carnaval!

Lá, lá, lá…

Matrafona é Matrafona
Não tem…
Matrafona é Matrafona
Não tem samba no pé!

Ela tem hora de partida na Caravela
Só o final do Túnel a fará voltar
É matrafona
Ninguém se vai enganar

O sol na praça vai nascer
E a matrafona só quer viver
Esperou o ano inteiro
É carnaval!

Lá, lá, lá…

Lá vem ela, lá vem ela a tropeçar no salto
Abraça todo o mundo e cantando alto
Manda beijo de batom borrado
Num vestido que parece do tamanho errado
Alegria, alegria, alegria
Nessa toada vai até ao raiar do dia
meia calça rasgada
A perna cabeluda
Pulando animada nesse “Deus nos acuda”

Ela tem hora de partida na Caravela
Só o final do Túnel a fará voltar
É matrafona
Que não há noutro lugar

Matrafona tem mulher na casa dela
Nem esse sapato a fará parar
É matrafona
Ninguém se vai enganar

*A Matrafona consiste num homem vestido de mulher, presença marcante e muito enraizada no Carnaval de Torres Vedras. As matrafonas têm a sua origem associada à necessidade de improvisar uma máscara, numa sociedade pobre e essencialmente rural.

Saiba tudo em carnavaldetorres.com