Torres Vedras

Torres Vedras “apadrinha” intercâmbio comercial luso-tunisino

10.02.2020

Imagem do primeiro painel da conferência

Torres Vedras acolheu a 1.ª Conferência da Associação de Amizade Portugal-Tunísia.

Esta iniciativa aconteceu na manhã do dia 7 de fevereiro, no auditório do Edifício dos Paços do Concelho, sob o tema “Internacionalizar Tunísia”, tendo contado com cerca de 60 participantes, a maioria representantes de empresas nacionais, muitas delas torrienses.

Abordando o intercâmbio empresarial entre Portugal e Tunísia, esta conferência, que foi organizada pela Agência Investir Torres Vedras (uma estrutura da Câmara Municipal que tem por missão acompanhar todas as formas de investimento no Concelho, sendo responsável pela dinamização do empreendedorismo local e atração de novos investimentos), Associação de Amizade Portugal-Tunísia e Winskills, proporcionou, por exemplo, um interessante painel de boas práticas e testemunhos a cargo de representantes de empresas nacionais que estão a operar neste país magrebino, nomeadamente da SECIL, EFACEC, Coba e RC Redol.

Antes deste painel, um outro abordou a internacionalização empresarial nacional dirigida àquele país do norte de África, no qual intervieram principalmente representantes de entidades com responsabilidade nesse âmbito, nomeadamente Rui Cordovil (da AICEP-Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), Donia Ellouze (presidente da Câmara de Comércio Tunísia-Portugal), Pedro Magalhães (da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa) e Rodrigo Faria (da Informa DB).

Presente nesta conferência, onde teve também a oportunidade de moderar os mencionados painéis, esteve o embaixador de Portugal na Tunísia, que salientou o facto de existirem grandes semelhanças culturais entre estes dois países de cultura mediterrânica, sendo, segundo José Ludovice, este um momento oportuno para o estabelecimento de parcerias entre empresas nacionais e tunisinas. O diplomata salientou ainda a fiabilidade das empresas tunisinas, afirmando que o mercado da Tunísia tem um grande potencial que deve ser explorado pelas empresas portuguesas.

O embaixador da Tunísia em Portugal, por seu lado, frisou, na sua intervenção, o facto do seu país ter hoje um sistema político democrático, o que acontece graças à dinâmica da sua sociedade, tratando-se de um “caminho irreversível”. Mounir Ben Rjiba salientou também a luta do seu governo contra o terrorismo internacional e os problemas sociais internos, sublinhando o grande crescimento que o setor do turismo tem registado na Tunísia, bem como a inovação tecnológica que se tem verificado nos setores agrícola e industrial deste país.

Complementando estas duas últimas intervenções, Ibrahim Medini (da Agência de Investimento Tunisina) realizou uma apresentação na qual explanou argumentos a favor do investimento internacional no seu país, dando a conhecer o atual panorama económico do mesmo, com realce para as oportunidades de negócio que oferece. 

No término da conferência, e após as intervenções da plateia, usou da palavra o presidente da Associação de Amizade Portugal-Tunísia, Rui Redol, um “torriense de adoção”, que afirmou que o trabalho iniciado nesta sessão “é para continuar”, revelando na ocasião que está previsto a realização de missões empresariais que ligarão Portugal à Tunísia, numa altura em que muitas empresas deste último país procuram parcerias para entrar no mercado europeu.

Também no final da conferência interveio o presidente da Câmara Municipal, que realizou um balanço bastante positivo da mesma. Carlos Bernardes, de resto, efetuara no início da conferência uma breve apresentação do panorama económico do Concelho, salientando aspetos como as mais de 10 mil empresas existentes no respetivo território, a modernização do seu setor agrícola e a proeminência do setor empresarial local ligado à saúde. Aproximar empresarialmente Portugal e Tunísia é um caminho que, segundo o edil, a entidade que dirige vai continuar a trilhar, seguindo assim os passos do Município da Guarda, tendo revelado a sua esperança de ver num futuro próximo também empresas tunisinas a investir em Torres Vedras.

A atividade terminou com um almoço volante no Edifício dos Paços do Concelho, o qual se constituiu como um momento de networking.

 

voltar ao topo ↑