Torres Vedras

Presidente

Laura Maria Jesus Rodrigues

Tem 63 anos, é natural de Torres Vedras e reside em Santa Cruz.

Mestre em Proteção Integrada e licenciada em Engenharia Agronómica pelo Instituto Superior de Agronomia, dedicou 26 anos da sua vida profissional ao ensino, para o que se qualificou, nomeadamente, em Ciências da Educação e em Administração Escolar. Lecionou em escolas públicas, no Externato de Penafirme e na Escola Profissional Agrícola Fernando Barros Leal. 

Exerceu o cargo de Diretora Pedagógica da Escola Profissional Agrícola Fernando Barros Leal durante cerca de 13 anos.

Foi membro da Assembleia Municipal pelo Partido Socialista no mandato 2005-2009.

Integra o Executivo Municipal desde 2009, inicialmente com os pelouros de Educação e Atividade Física. Em outubro de 2017 assumiu, também, a área Financeira e a de Contratação Pública. Em dezembro de 2015 passou a assumir a vice-presidência da Câmara Municipal de Torres Vedras e a ser vogal do Conselho de Administração dos SMAS.

A saúde, sempre na ordem do dia

01.04.2022

Dois anos de uma pandemia sem precedentes colocaram a saúde pública na ordem do dia. Ao longo deste tempo passámos do medo à convivência com o coronavírus e da proteção pelas máscaras à prevenção pelas vacinas. Agora, com a generalidade da população já vacinada, foi tempo de desmontar o centro de testes e o centro de vacinação que a Câmara Municipal tinha instalado no Pavilhão Multiusos da Expotorres. Este momento, que ocorreu sem cerimónias nem honras de capa de jornal, é na verdade marcante para Torres Vedras enquanto comunidade.

É certo que não chegou ainda o desejado fim da pandemia, mas sentimo-nos num período de “reabertura”, de regresso à vida que conhecíamos antes de março de 2020: as lojas e espaços de restauração voltaram a ter a moldura humana que tinham, a vida cultural recuperou os seus hábitos regulares e na rua vemos já sorrisos no lugar das máscaras. O nosso Carnaval decorreu neste tempo de transição, o que impediu a realização da festa que tínhamos dantes mas não impediu os foliões de viver o carnaval, cada um à sua maneira. Para o ano esperamos ter não só o Carnaval na rua mas também um ano de celebração do centenário do Carnaval de Torres Vedras.

Se é verdade que a COVID-19 trouxe a saúde para as notícias diárias, não é menos verdade que no nosso território, a saúde era já um tema recorrente e uma preocupação de todos os torrienses. No passado mês de março assinámos o auto de consignação para o início da obra da Unidade de Saúde de São Pedro da Cadeira, uma intervenção que visa dar condições dignas à população daquela que é uma das freguesias que mais tem crescido no Concelho.

Sabemos que os edifícios só por si não resolvem a falta de médicos de família, por exemplo, mas são um contributo para a melhoria das condições destes profissionais, para que os possamos atrair para o território. Em Portugal há mais de um milhão de pessoas sem médico de família, sendo a nossa região uma das que tem um rácio mais elevado de pessoas sem este serviço. E é por isso que temos de continuar a investir na atração de médicos e outros profissionais de saúde. Neste campo importa lembrar que o protocolo celebrado entre o Município e o Centro Hospitalar do Oeste continua a ser cumprido, estando neste momento a decorrer a obra de remodelação do serviço de urgência do Hospital de Torres Vedras.

Por último queria deixar uma palavra de solidariedade ao povo ucraniano, vítima de uma guerra violenta que lembra guerras de há várias décadas e que cria cenários que não imaginaríamos ver na Europa do século XXI. E também uma palavra de apreço aos torrienses que, desde o primeiro momento, se mostraram disponíveis para ajudar das mais variadas formas as vítimas deste conflito.

voltar ao topo ↑