Torres Vedras

Castro do Zambujal – Projeto de Valorização

01.12.2018

Vista aérea do Castro do Zambujal após ter sido alvo da intervenção de valorização.

Esta operação integra o Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial da Comunidade Intermunicipal do Oeste.

 

Localizado a cerca de três quilómetros a sudoeste de Torres Vedras, o Castro do Zambujal foi identificado pelo investigador torriense Leonel Trindade no ano de 1932, tendo sido alvo das primeiras escavações em 1944 e 1959. A partir da década de 60, a pesquisa deste sítio assumiu uma importância internacional com a implementação de um projeto dirigido entre 1964 e 1973 por E. Sangmeister (Universidade de Friburgo), H. Schubart (Instituto Arqueológico Alemão de Madrid) e L. Trindade, tendo, a partir de 1994, os trabalhos no local estado sob a direção de M. Kunst (Instituto Arqueológico Alemão de Madrid) e P. Uerpmann (da Universidade de Tübingen). A longa história das pesquisas arqueológicas aí efetuadas e a extensa documentação publicada a partir das mesmas converteram o Castro do Zambujal num dos mais emblemáticos sítios arqueológicos portugueses, assumindo um papel de relevo para o conhecimento das primeiras sociedades agro-metalúrgicas no Calcolítico da Península Ibérica, especialmente no que se refere às primeiras arquiteturas de fortificação e às práticas de metalurgia antiga.

A presente operação teve como objeto de intervenção a valorização do Castro do Zambujal, um dos mais importantes monumentos do calcolítico peninsular, localizado na freguesia de Torres Vedras e Matacães, no concelho de Torres Vedras, classificado como Monumento Nacional através do Decreto n.º 35 817, publicado no Diário do Governo, Série I, n.º 187/1946, de 20 de agosto, tendo a área classificada sido objeto de ampliação em 2012, através do Decreto n.º 28/2012, de 20 de novembro, publicado no Diário da República, 1.ª Série, n.º 224, passando a abranger uma superfície de cerca de cinco hectares.

A intervenção de valorização do Castro do Zambujal consistiu em três componentes:

  • Empreitada de Conservação e Restauro: estabilização do conjunto das estruturas arqueológicas a descoberto e promovendo a sua proteção e conservação;

  • Empreitada de Paisagismo: promoção do estacionamento, de caminhos e de vegetação e instalação de mobiliário urbano, de vedações e de sanitários;

  • Museografia digital: criação de um áudio guia numa experiência mobile (app), o que será complementado por painéis informativos e um folheto impresso.

Pretendeu-se, com esta intervenção, alcançar os seguintes objetivos:

Objetivo 1: Promover a conservação e restauro de um dos monumentos mais importantes do calcolítico peninsular, localizado no concelho de Torres Vedras, classificado como Monumento Nacional, assegurando condições de visitação e investigação;

Objetivo 2: Possibilitar a fruição pública do Castro do Zambujal, enquanto destino turístico-cultural;

Objetivo 3: Estimular a atividade económica da cidade e da região (alojamento, restauração e animação turística), desenvolvendo uma oferta baseada em produtos turísticos de base patrimonial e paisagística, nomeadamente aqueles diretamente relacionadas com o seu rico património histórico – monumentos nacionais e de interesse público - e a sua rede de equipamentos culturais, museus e centros de interpretação.



A execução do Projeto de Valorização do Castro do Zambujal valeu o segundo lugar da categoria “Best of Communities & Culture” dos prémios para os destinos mais sustentáveis do mundo, entregues pela Green Destinations em 2020, e a conquista do Prémio Autarquia do Ano  na edição de 2019/2020 na categoria “Cultura e Património”, subcategoria “Conservação do Património”.

 

NÚMEROS

Código do projeto: CENTRO-07-2114-FEDER-000040

Data de aprovação: 30-12-2016

Data de início: 01-09-2017

Data de conclusão: 14-02-2019

Investimento total: 355.406,75 €

Investimento elegível comparticipado: 350.000,00 €

Apoio financeiro da União Europeia: 297.500,00 € FEDER


Última atualização: 04.12.2020 - 12:26 horas
voltar ao topo ↑